quinta-feira, 7 de maio de 2015

EDUCAÇÃO?!


Ao pensarmos no sentido da educação, ou pensarmos ela na prática, sem etimologias e outros floreios mais percebemos que, o fato de estarmos vivenciando a sociedade brasileira atual, nos leva a associar essa palavra a outras das quais, em geral, não estamos acostumados. Eu digo isso pelo simples fato de que, se eu mencionar a palavra educação a qualquer um que passar na rua e pedir que o sujeito me diga o que vier a mente, o mesmo vai pensar na falta dela, no descaso com ela, ou como seria bom se ela melhorasse se não for a primeira coisa que ela ou ele vai pensar no mínimo vai ser uma das. O fator primordial nessa minha reflexão inicial reside no simples fato de que todos nós já pensamos sobre isso, porém não temos ou não queremos dar uma solução a isso, já imaginou então se esse problema que tanto nos assola e tanto nos perturba fosse resolvido “da noite pro dia”, com certeza não, porque isso com certeza não aconteceria é  o que nós diríamos a nós mesmos se pensássemos dessa forma, isso só prova o quanto é difícil falar de educação nesse país, visto que só nos é dado a munição da crítica, porém a arma da resolução nos foi arrancada e negada perante nossos perplexos olhos.

A situação só piora, se formos então analisar os atuais acontecimentos no país, os quais de maneira alguma foram retratados, comentados, filmados ou qualquer forma de veículo de mídia foi utilizado para divulgá-los, minto, até foi utilizada a internet, em alguns sites de notícia, porém citações tímidas as quais não expressaram nenhum tom de revolta. O fato ocorrido no Paraná com os professores, massacrados, diga-se de passagem, foi uma representação extremamente bem encenada, que mostra o dia-a-dia, pasmem, da educação brasileira, o que mais revolta no episódio, é que se aquilo fosse um caso simplesmente isolado, eu estaria falando do jogo do Barcelona essa semana, para nossa decepção, não é. E a questão principal, é: a educação, naquela situação representada pelos professores, e a repressão do estado, representada ali pelo próprio estado, só mostra o cotidiano cansativo, escolas sem investimento, professores mal pagos e alunos desmotivados é apenas a bomba de efeito mais que moral que jogam todos os dias em nossa cara, é o cassetete que tacam em nossas costas em todos os momentos, essa violência é só a culminância dos séculos sem investimento em educação e não é nosso assunto, mas, é também herança de um estado que aprendeu com a repressão ditatorial e perpetua esse aprendizado sob a égide de diversas formas.

Solução para isso, infelizmente, eu não posso apresentar querido leitor, porém o que posso dizer é que podemos sim rumar para uma sociedade onde a educação seja priorizada, me permita aperfeiçoar esse texto e dar a ele um tom mais otimista, pois de alguma forma (voto ou a ausência dele, protestos, a universidade e etc.) sem correr das discussões é possível pressionar nosso estado democrático de direito a nos representar legitimamente e assim trazer a tona soluções possíveis que já existem e necessitam urgentemente serem efetivadas nesse país.  
Sobre o autor:

Um comentário:

  1. Infelizmente é a mais pura verdade, e a saída mais facil de vemos é simplesmente ignorar, por que as vezes parece que nao tem jeito, mas pra lutar contra isso tem que ter muita força de vontade de não perder as esperanças do Brasil. Esperanças que nossos jovens sejam incentivados a lutar pelo grande e os policiais (ex-alunos) não batam nos professores que tanto tentam mudar a educação.

    ResponderExcluir

Olá, deixe seu comentário :), agradecemos desde já sua visita.